Carta de apresentação


O SECRETO MILAGRE DA POESIA

Sentimo-nos bem com seu contacto.
Disertamos sobre as suas maravilhas.
Auscultamos pequenas portas do seu mistério
e chegamos a perder-nos com prazer
no remoínho do seu interior.
Apercebemo-nos das suas fragilidades e manipulações.
Da sua extrema leveza.
Do silêncio de sangue e da sua banalização.

Excerto

in Rosa do Mundo

26 de dezembro de 2017

Tânia Diniz, Penélope

   Espero.
 Tal Penélope
  teço a teia
  de suspiro e saudade

  em ponto meia.
  Às noites de lua
  entremeio
  fios de paixão
  brilhos de prazer
  bordados em canção
  eu, toda nua,
  vestindo tua mão.
  Pronto o manto
  envolvo de encanto
  loucos sonhos na cama,

  a trama de quem ama.
  Tal Penélope
  na noite sem lua
  sem teus passos na rua
  desmancho, desfaço,
  meus pontos, teu laço.
  A solidão, não meço.
  Amanhã, recomeço.


Tânia Diniz
Brasil, Belo Horizonte - MG
Enviar um comentário