Carta de apresentação


O SECRETO MILAGRE DA POESIA

Sentimo-nos bem com seu contacto.
Disertamos sobre as suas maravilhas.
Auscultamos pequenas portas do seu mistério
e chegamos a perder-nos com prazer
no remoínho do seu interior.
Apercebemo-nos das suas fragilidades e manipulações.
Da sua extrema leveza.
Do silêncio de sangue e da sua banalização.

Excerto

in Rosa do Mundo

21 de julho de 2014

Rosa Fonseca: MORNA

Deitei-me na tarde morna e fiquei
Nesta espera de te ter
Dentro dos meus sonhos
Fogo que habita em mim…
Passeio-te no meu dorso
Reluzente de prazer
Acaricio-te os cabelos anelados
Aroma a canela dourada
Que inebria o meu desejo…
Este vulcão a escorrer
Delírios lembrados
De tantas tarde me ter em ti…
Deita-me no teu colo
Esvazia-me do néctar adocicado que escorre
Do meu mar
Este mar alto
Íntimo
Fundo
Que recebe os teus beijos molhados…

À entrada da noite… o prazer espreita



Rosa Fonseca
Portugal; Aveiro
in Demora-te nos meus olhos
Editor: Esfera do Caos

photo by google
Enviar um comentário