Carta de apresentação


O SECRETO MILAGRE DA POESIA

Sentimo-nos bem com seu contacto.
Disertamos sobre as suas maravilhas.
Auscultamos pequenas portas do seu mistério
e chegamos a perder-nos com prazer
no remoínho do seu interior.
Apercebemo-nos das suas fragilidades e manipulações.
Da sua extrema leveza.
Do silêncio de sangue e da sua banalização.

Excerto

in Rosa do Mundo

1 de julho de 2015

América do Sul, Quíchuas: Canção

Bela flor, longos cabelos,
moça com olhos de sombra,
flor de neve sempre branda,
dentes frios, rubra boca.

Cansado de tanto andar,
Chega o teu amado agora.
Que o coração se te alegre!
Quem te deu dor vai-se embora.

A água clara que corre,
tal como se vê agora,
assim é que há-de bailar
roda a gente à tua volta


América do Sul, Quíchuas
Séc. XVI-XVII
Trad. Herberto Helder
In Rosa do Mundo – 2001 poemas para o futuro
Editor: Assirio & Alvim
Photo by Google 
Enviar um comentário