Carta de apresentação


O SECRETO MILAGRE DA POESIA

Sentimo-nos bem com seu contacto.
Disertamos sobre as suas maravilhas.
Auscultamos pequenas portas do seu mistério
e chegamos a perder-nos com prazer
no remoínho do seu interior.
Apercebemo-nos das suas fragilidades e manipulações.
Da sua extrema leveza.
Do silêncio de sangue e da sua banalização.

Excerto

in Rosa do Mundo

16 de agosto de 2015

Sandra Cisneros: Dulzura

Faz amor comigo em Espanhol.
Não com essa outra língua.
Quero-te juntito a mi,
terno como a linguagem
cantarolada por bebés.
Quero ser assim
embalada, mi bien
querido, assim amada.

Quero-te dentro
da boca do meu coração,
dentro da harpa dos meus pulsos,
a doce carne da manga,
no ouro que baloiça
nas minhas orelhas e pescoço.

Diz o meu nome. Di-lo.
Do modo que é suposto dizê-lo.
Quero saber que já te conhecia
mesmo antes de te conhecer



Sandra Cisneros
EUA, Chicago, Illinois 1954
in Qual é a minha ou a tua língua
Editor: Assirio & Alvim
photo by Google

Enviar um comentário