Carta de apresentação


O SECRETO MILAGRE DA POESIA

Sentimo-nos bem com seu contacto.
Disertamos sobre as suas maravilhas.
Auscultamos pequenas portas do seu mistério
e chegamos a perder-nos com prazer
no remoínho do seu interior.
Apercebemo-nos das suas fragilidades e manipulações.
Da sua extrema leveza.
Do silêncio de sangue e da sua banalização.

Excerto

in Rosa do Mundo

19 de outubro de 2015

Domingo Alfonso: Depois do Amor






























Esta mulher e eu acabámos, agora.
Deixando os lençóis em desordem,
olhamos pela janela para a rua.

Um pouco à direita,
operários compõem um enorme cartaz,
que diz: «Todos com boinas vermelhas à Praça da Revolução»

Ela volta para o interior do quarto do hotel.
Contemplo as suas nádegas da cor da  tinta de imprensa.
Sinto o mesmo que os homens normais perante tal espectáculo.
E dou graças por me encontrar vivo.



Domingo Alfonso
Cuba 1935
in Qual é a tua ou a minha língua?
Editor: Assirio & Alvim
photo by Google

Enviar um comentário