Carta de apresentação


O SECRETO MILAGRE DA POESIA

Sentimo-nos bem com seu contacto.
Disertamos sobre as suas maravilhas.
Auscultamos pequenas portas do seu mistério
e chegamos a perder-nos com prazer
no remoínho do seu interior.
Apercebemo-nos das suas fragilidades e manipulações.
Da sua extrema leveza.
Do silêncio de sangue e da sua banalização.

Excerto

in Rosa do Mundo

26 de abril de 2014

José Tolentino Mendonça: Quatro tiros no coração























Certas manhãs chegava
esmagado pela luz
longo, frívolo, ofensivo
qualquer gesto aludia
a uma espécie de temor
a tristeza daqueles que pertencem
a lugar nenhum

Vivia tudo num instante
a solidão, os rancores
as alegrias dos outros
o silêncio do outono

Nunca o amor tocara o seu corpo
com a intensidade do medo
tornou-se parte de um rio
nem perto, nem longe
da palavra justa

Ele só pedia
"não me digam nada"


José Tolentino Mendonça
Portugal (Machico, Madeira) 1965
in A noite abre meus olhos “Poesia reunida”
Editor: Assírio & Alvim
photo by Google
Enviar um comentário