Carta de apresentação


O SECRETO MILAGRE DA POESIA

Sentimo-nos bem com seu contacto.
Disertamos sobre as suas maravilhas.
Auscultamos pequenas portas do seu mistério
e chegamos a perder-nos com prazer
no remoínho do seu interior.
Apercebemo-nos das suas fragilidades e manipulações.
Da sua extrema leveza.
Do silêncio de sangue e da sua banalização.

Excerto

in Rosa do Mundo

21 de abril de 2014

José Tolentino Mendonça: A tua mão





























Reconheço a tua mão nesse abandono
visível não sei se pela escuridão
ou pela luz
quase sinto a natureza da tua vida
uma linha de fogo em enormes proporções
nesta mão
elegante, íntima, delicada
os dedos com inclinação muito leve
nem chega a ser um gesto

tanto se parece a uma despedida


José Tolentino Mendonça
Portugal (Machico, Madeira) 1965
in A noite abre meus olhos “Poesia reunida”
Editor: Assírio & Alvim
photo by Google

Enviar um comentário